Página principal Questões e doenças oculares Doenças oculares de A-Z

Distrofia corneana de Fuchs: 7 coisas que você deve saber

Distrofia corneana de Fuchs é um distúrbio da superfície frontal do olho (córnea), que afeta, geralmente, adultos mais velhos. Mostraremos aqui sete fatos importantes que você deve saber sobre a distrofia de Fuchs:

1. O que é distrofia de Fuchs?

A distrofia de Fuchs é uma doença ocular em que as células da camada mais interna da córnea sofre alterações degenerativas.

Essa camada celular, chamada de endotélio,é responsável por manter a quantidade adequada de líquido na córnea. O endotélio mantém a córnea limpa para uma boa visão, eliminando o excesso de líquido que pode causar um inchaço corneano.

Distrofia de Fuchs, também chamada de Distrofia corneana de Fuchs e Distrofia endotelial de Fuchs, afeta geralmente ambo os olhos e causa uma perda gradativa da visão decorrente de edema (inchaço) e opacificação da córnea.

Conforme o distúrbio progride, o inchaço da córnea pode causar bolhas na parte frontal da córnea, conhecidas como bolhas epiteliais. Esse quadro é conhecido como ceratopatia bolhosa.

Não há prevenção ou cura conhecidas para a distrofia de Fuchs.

2. Qual é a causa isso?

A distrofia de Fuchs pode ter uma causa genética, mas pode também ocorrer sem um histórico prévio da doença na família. Em muitos casos, a causa é desconhecida.

3. Quais são os sintomas da distrofia de Fuchs?

Os sintomas da distrofia de Fuchs incluem:

  • Clarão e sensibilidade à luz

  • Dor nos olhos

  • Visão enevoada ou embaçada

  • Halos coloridos ao redor das luzes

  • Dificuldade para enxergar à noite

  • Visão ruim ao acordar, que pode melhorar ao longo do dia

  • Sensação de ter algo dentro dos olhos (sensação de corpo estranho)

4. Quem tem maior risco de desenvolver a doença?

Problemas na visão decorrentes da distrofia corneana de Fuchs geralmente afetam pessoas após os 50 anos de idade, embora os oftalmologistas possam detectar sinais precoces da doença em jovens adultos. Parece ser mais comum em mulheres do que em homens.

Se sua mãe ou seu pai tem distrofia de Fuchs, você tem aproximadamente 50% de chance de desenvolver a doença.

5. Como ela é detectada?

É necessário um exame de vista abrangente realizado por um oftalmologista para se detectar a distrofia corneana de Fuchs.

Durante o exame, seu oftalmologista usará um instrumento chamado lâmpada de fenda para realizar uma avaliação detalhada da córnea. Durante esse procedimento, eles examinarão a córnea de forma ampliada para procurar alterações sutis na aparência das células do endotélio, que representem características da doença.

Os sinais clínicos precoces da distrofia de Fuchs são uma quantidade reduzida de células endoteliais e pequenas lesões em formato de gota no endotélio da córnea, chamadas de córnea guttata.

Outro teste que seu oftalmologista pode realizar é uma medida da espessura da sua córnea. Uma espessura corneana aumentada pode indicar inchaço corneano secundário à doença.

Além disso, um exame de acuidade visual com um quadro ocular realizado durante um exame abrangente pode revelar redução da visão decorrente de inchaço corneano.

6. Qual tratamento está disponível para a distrofia de Fuchs?

Os tratamentos para a distrofia de Fuchs depende do estágio da doença. Nos casos mais iniciais, a visão frequentemente pode ser melhorada pela remoção do excesso de água da córnea com colírios contendo 5% de cloreto de sódio (hipertônicos).

Se você tem fotofobia causada por distrofia corneana, óculos com lentes fotocrômicas podem ser úteis para reduzir sua sensibilidade à luz. Além disso, revestimento antirreflexo elimina os reflexos das lentes dos óculos que podem ser particularmente incômodos para pessoas com distrofia de Fuchs.

Se você tem distrofia endotelial e hipertensão ocular,seu oftalmologista pode receitar colírios para glaucoma para reduzir sua pressão intraocular (IOP). Pressão ocular alta pode danificar o endotélio corneano, levando à piora da distrofia de Fuchs.

Conforme a doença progride, as bolhas epiteliais podem se romper, causando abrasões corneanas doloridas e comprometimento da visão. Se isso ocorrer ou se a distrofia de Fuchs progredir até o ponto de causar perda significativa da visão, um tipo de transplante de córnea geralmente se faz necessário.

7. Precauções

Se você recebeu diagnóstico de distrofia corneana de Fuchs, certifique-se de discutir com seu oftalmologista caso esteja considerando uma LASIK (ceratomileuse local assistida por laser) ou outra cirurgia refrativa, ou se você tiver catarata e precisar de cirurgia de catarata.

Essas cirurgias oculares podem piorar a doença, e a distrofia corneana é geralmente considerada uma contraindicação para cirurgia refrativa eletiva.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista