Página principal Questões e doenças oculares Doenças oculares de A-Z

Tratamento do glaucoma: Remédios, colírios e mais

Mulher usando colírio para tratamento do glaucoma

A maioria dos tratamentos contra o glaucoma tem o objetivo de baixar e controlar a pressão intraocular (PIO), com o objetivo de preservar o nervo óptico, responsável por transmitir informações visuais ao cérebro.

O tratamento clínico normalmente é a primeira escolha para o glaucoma, em detrimento da cirurgia, e pode ser muito eficaz no controle da PIO. Se o seu oftalmologista acha que você tem o glaucoma, é possível que seja prescrito um ou mais tipos de colírios, a fim de se obter um melhor controle da doença.

Principais medicamentos usados para glaucoma

Os colírios para glaucoma são classificados pelo seu princípio ativo:

Prostaglandinas

Esses colírios para glaucoma normalmente têm o melhor índice de uso correto pelo usuário, uma vez que ele precisa ser usado apenas uma vez ao dia. As prostaglandinas geralmente relaxam os músculos da estrutura interior do olho, proporcionando uma melhor saída de fluidos, e, consequentemente, reduzindo a pressão ocular.

Os possíveis efeitos colaterais do colírio de prostaglandina para glaucoma incluem ardor e queimação, mudança na cor dos olhos, e alongamento e ondulação dos cílios.

Betabloqueadores

Usados em uma variedade de colírios para glaucoma, os betabloqueadores eram, no passado, a primeira opção para o tratamento do glaucoma. Eles diminuem a produção do fluido (aquoso) no olho, e, hoje em dia, normalmente são prescritos como adjuvantes ou combinados com as prostaglandinas.

Esses colírios podem diminuir a frequência cardíaca e causar efeitos colaterais adversos em indivíduos com determinados problemas cardíacos, problemas pulmonares (como enfisema), diabetes, depressão ou outras doenças. Por esses motivos, certifique-se de discutir o seu histórico médico detalhadamente com o seu oftalmologista antes de usar betabloqueadores.

Agonistas alfa adrenérgicos

Esses medicamentos diminuem a taxa de produção de humor aquoso e podem ser usados sozinhos ou em combinação com outros colírios anti-glaucoma.

Os efeitos colaterais comuns associados a esse tipo de colírio incluem olhos avermelhados ou vermelhos (injeção ocular), elevação da pálpebra superior, pupilas dilatadas e coceira.

Inibidores da anidrase carbônica

Esses medicamentos diminuem a taxa de produção de humor aquoso. Eles normalmente são usados em combinação com outros colírios anti-glaucoma. Esse tipo de medicamento também é usado em forma oral (comprimido). Os efeitos colaterais geralmente experimentados com o uso do colírio inibidor da anidrase carbônica (IAC) incluem queimação, sabor amargo, reações palpebrais e vermelhidão nos olhos.

Cerca de metade dos pacientes são intolerantes ao IAC oral devido aos efeitos colaterais sistêmicos, que incluem fadiga, depressão, perda de apetite, perda de peso, perda de libido, pedras nos rins, sabor metálico e formigamento nos dedos das mãos e dos pés (neuropatias periféricas).

Parassimpaticomiméticos

Esses medicamentos aumentam a saída do humor aquoso do olho. Eles são frequentemente usados para controlar a PIO no glaucoma de ângulo estreito. Esse tipo de colírio faz com que a pupila se contraia, o que ajuda a abrir o ângulo estreitado ou bloqueado onde ocorre a drenagem.

Os efeitos colaterais comuns experimentados com esse tipo de colírio incluem dor na sobrancelha, constrição da pupila, queimação, e visão noturna reduzida.

Epinefrina

A epinefrina tem um efeito duplo no olho. Esse medicamento diminui a taxa de produção de humor aquoso e aumenta a saída desse humor aquoso do olho.

Os efeitos colaterais comuns experimentados com esse tipo de colírio incluem depósitos pigmentados na membrana da superfície do olho (conjuntiva), dutos lacrimais bloqueados e palpitações cardíacas com aumento da freqüência cardíaca.

Agentes hiperosmóticos

Esses medicamentos normalmente são indicados para pessoas com PIO muito alta e que precisa ser reduzida antes que ocorram danos permanentes e irreversíveis ao nervo óptico. Os agentes hiperosmóticos reduzem a PIO por meio da diminuição do volume de fluido no olho.

Geralmente administrados uma única vez, em caráter de emergência, esses medicamentos incluem glicerina e isossorbida por via oral, e manitol e ureia por via intravenosa.

Combinação de medicamentos para glaucoma

Muitos indivíduos com glaucoma necessitam de mais de um tipo de medicamento para controlar a PIO. Por esse motivo, a maioria das empresas farmacêuticas e oftálmicas produzem colírios "combinados", que incluem dois ou três diferentes tipos de medicamentos anti-glaucoma no mesmo frasco.

Por conveniência, o seu oftalmologista pode prescrever medicamentos combinados para baixar a PIO. Normalmente, esses medicamentos combinados têm o efeito aditivo de reduzir a PIO.

Pergunte ao seu oftalmologista

Com todos os diferentes tipos de medicamentos para glaucoma disponíveis, é de extrema importância consultar um oftalmologista para o melhor tipo de medicamento para as suas necessidades específicas.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista