Cansaço visual digital

Luz azul: como se proteger contra lesões oculares

criança usando smartphone
Advertisement

A luz visível é muito mais complexa do que você imagina.

Sair ao ar livre, num dia de sol; ligar um interruptor de parede em casa; ligar o computador, celular ou outro dispositivo digital - tudo isso faz com que seus olhos sejam expostos a uma variedade de raios de luz visíveis (e às vezes invisíveis) que podem ter vários efeitos.

A maioria das pessoas sabe que a luz solar contém raios de luz visíveis e raios ultravioleta invisíveis que podem bronzear ou queimar a pele. Mas o que muitos não sabem é que a luz visível emitida pelo sol compreende uma gama de raios de luz de cores diferentes que contêm quantidades diferentes de energia.

O que é luz azul?

A luz solar contém raios de luz vermelha, laranja, amarela, verde e azul e muitos tons de cada uma dessas cores, dependendo da energia e comprimento de onda dos raios individuais (também chamados de radiação eletromagnética). Combinado, esse espectro de raios de luz coloridos cria o que chamamos de "luz branca" ou luz solar.

o espectro da luz

O espectro da luz

Sem abordar conceitos complexos de física, há uma relação inversa entre o comprimento de onda dos raios de luz e a quantidade de energia que eles contêm. Os raios de luz que possuem comprimentos de onda relativamente longos contêm menos energia e aqueles com comprimentos de onda curtos têm mais energia.

Os raios na extremidade vermelha do espectro de luz visível têm comprimentos de onda mais longos e, portanto, menos energia. Os raios na extremidade azul do espectro têm comprimentos de onda mais curtos e mais energia.

Os raios eletromagnéticos logo após a extremidade vermelha do espectro da luz visível são chamados de infravermelhos — aquecem, mas são invisíveis. (As "lâmpadas de aquecimento" que você observa mantendo a comida quente em seu restaurante local emitem radiação infravermelha. Mas essas lâmpadas também emitem luz vermelha visível para que as pessoas saibam que estão acesas! Isso vale para outros tipos de lâmpadas de calor).

No outro extremo do espectro de luz visível, os raios de luz azul com os menores comprimentos de onda (e energia mais alta) às vezes são chamados de luz azul-violeta ou violeta. É por isso que os raios eletromagnéticos invisíveis, além do espectro de luz visível, são chamados de radiação ultravioleta (UV).

Os perigos e benefícios dos raios UV

Os raios UV possuem maior energia que os raios visíveis, o que os torna capazes de produzir alterações na pele que criam um bronzeado. De fato, as lâmpadas nas cabines de bronzeamento emitem uma quantidade controlada de radiação UV especificamente por esse motivo.

Mas muita exposição aos raios UV causa queimaduras solares dolorosas - e ainda pior, pode levar ao câncer de pele. Esses raios também podem queimar os olhos - uma condição chamada fotoceratite ou cegueira da neve.

Mas a radiação ultravioleta, com moderação, também tem efeitos benéficos, como ajudar o corpo a fabricar quantidades adequadas de vitamina D.

Geralmente, os cientistas dizem que o espectro da luz visível compreende radiação eletromagnética com comprimentos de onda que variam de 380 nanômetros (nm) na extremidade azul do espectro a cerca de 700 nm na extremidade vermelha. (A propósito, um nanômetro é um bilionésimo de metro - 0,000000001 metro!)

A luz azul geralmente é definida como luz visível que varia de 380 a 500 nm. Às vezes, a luz azul é dividida em luz azul-violeta (aproximadamente 380 a 450 nm) e luz azul-turquesa (aproximadamente 450 a 500 nm).

Portanto, aproximadamente um terço de toda a luz visível é considerada Luz Visível de Alta Energia (HEV) ou luz "azul".

Pontos principais sobre a luz azul

Assim como a radiação ultravioleta, a luz azul visível - a parte do espectro de luz visível com os menores comprimentos de onda e maior energia - tem benefícios e perigos. Aqui estão algumas coisas importantes que você deve saber sobre a luz azul:

1. A luz azul está em toda parte.

A luz do sol é a principal fonte de luz azul e, ao ar livre durante o dia, é de onde a maioria de nós obtém a maior parte de nossa exposição a ela. Mas também existem muitas fontes de luz azul criadas pelo homem, incluindo iluminação fluorescente e LED e televisões de tela plana.

Em especial, as telas dos computadores, notebooks eletrônicos, smartphones e outros dispositivos digitais emitem quantidades significativas de luz azul. A quantidade de Luz Visível de Alta Energia (HEV) emitida por esses dispositivos é apenas uma fração da emitida pelo sol. Mas a quantidade de tempo que as pessoas gastam usando esses dispositivos e a proximidade dessas telas com o rosto do usuário constituem a preocupação de muitos médicos oftalmologistas e outros profissionais de saúde no que diz respeito aos possíveis efeitos a longo prazo da luz azul na saúde ocular.

2. Os raios de Luz Visível de Alta Energia fazem o céu parecer azul.

Os raios de luz de curta energia e alta energia na extremidade azul do espectro de luz visível se dispersam mais facilmente do que outros raios de luz visíveis quando atingem moléculas de ar e água na atmosfera. O maior grau de dispersão desses raios é o que faz um céu sem nuvens parecer azul.

3. O olho não é muito bom em bloquear a luz azul.

As estruturas anteriores do olho humano adulto (a córnea e o cristalino) são muito eficazes para impedir que os raios UV atinjam a retina sensível à luz na parte posterior do globo ocular. De fato, menos de um por cento da radiação UV do sol atinge a retina, mesmo que você não esteja usando óculos escuros.

(Lembre-se, no entanto, de que os óculos escuros que bloqueiam 100% dos raios UV são essenciais para proteger essas e outras partes do olho contra danos que podem levar a cataratas, cegueira da neve, pinguécula e/ou pterígio e até câncer.)

Por outro lado, praticamente toda a luz azul visível passa pela córnea e pelo cristalino e atinge a retina.

4. A exposição à luz azul pode aumentar o risco de degeneração macular.

O fato de a luz azul penetrar até a retina (o revestimento interno da parte posterior do olho) é importante, porque estudos em laboratório mostraram que muita exposição à luz azul pode danificar as células sensíveis à luz na retina. Isso causa alterações semelhantes às da degeneração macular, que podem levar à perda permanente da visão.

Embora sejam necessárias mais pesquisas para determinar a quantidade de luz azul natural e artificial correspondente a um "excesso de luz azul" para a retina, muitos médicos oftalmologistas preocupam-se com o aumento do risco de degeneração macular tardia na vida de uma pessoa, em razão da exposição à luz azul de telas de computadores, smartphones e outros dispositivos digitais.

5. A luz azul contribui para a fadiga ocular digital.

Como a luz azul de alta energia com comprimento de onda curto dispersa-se mais facilmente do que outras luzes visíveis, ela não é tão facilmente focalizada. Quando você olha para telas de computador e outros dispositivos digitais que emitem quantidades significativas de luz azul, esse "ruído" visual, sem foco, reduz o contraste e pode contribuir para a fadiga ocular digital.

Pesquisas demonstram que as lentes que bloqueiam a luz azul com comprimentos de onda inferiores a 450 nm (luz azul-violeta) aumentam significativamente o contraste. Portanto, os óculos com lentes amarelas para computador podem aumentar o conforto quando você estiver visualizando dispositivos digitais por longos períodos.

6. A proteção contra luz azul pode ser ainda mais importante após a cirurgia de catarata.

A lente do olho humano adulto bloqueia quase 100% dos raios UV do sol. Como parte do processo normal de envelhecimento, a lente natural do olho bloqueia também alguma quantidade de luz azul com comprimento de onda curto - o tipo de luz azul com maior probabilidade de causar danos à retina e levar à degeneração macular e perda de visão.

Se você tem catarata e está prestes a fazer uma cirugia de catarata, pergunte ao seu cirurgião que tipo de lente intraocular (LIO) será usada para substituir o cristalino natural nublado e quanta proteção contra luz azul a LIO fornece. Após a cirurgia de catarata, você pode obter benefícios com óculos cujas lentes tenham um filtro de luz azul especial - especialmente se você passar longas horas na frente da tela do computador ou usando outros dispositivos digitais.

7. Nem toda luz azul é ruim.

Então, toda e qualquer luz azul é ruim para você? Por que não bloquear toda a luz azul, o tempo todo?

Péssima ideia. Estudos mostraram que alguma exposição à luz azul é essencial para uma boa saúde. Pesquisas demonstraram que a luz visível de alta energia aumenta o estado de alerta, ajuda a memória e a função cognitiva e eleva o humor.

A luz azul é muito importante na regulação do ritmo circadiano — o ciclo natural de sono/vigília do corpo. A exposição à luz azul durante o dia ajuda a manter um ritmo circadiano saudável. Mas muita luz azul tarde da noite (ler um romance em um tablet ou e-reader na hora de dormir, por exemplo) pode atrapalhar esse ciclo, resultando potencialmente em insônia e fadiga diurna.

Filtros de luz azul e óculos de proteção

Se você utiliza seu telefone constantemente — em particular se o utilizar principalmente para mensagens de texto, e-mail e navegação na web — uma maneira conveniente de reduzir sua exposição à luz azul é utilizar um filtro de luz azul.

Esses filtros estão disponíveis para smartphones, tablets e telas de computador e evitam que quantidades significativas de luz azul emitida por esses dispositivos cheguem aos seus olhos sem afetar a visibilidade da tela. Alguns são feitos com vidro temperado fino que também protege a tela do seu dispositivo de arranhões.

Como mencionado acima, os óculos para computador também podem ser úteis para reduzir a exposição à luz azul das telas de computadores e/ou outros dispositivos digitais. Esses óculos de uso especial estão disponíveis sem receita médica, se você não precisa de correção visual ou frequentemente usa lentes de contato para corrigir a visão. Eles também podem ser especialmente prescritos para melhorar a performance da sua visão especificamente para a distância a partir da qual você visualiza seus dispositivos.

Se você tem presbiopia e costuma usar lentes multifocais ou bifocais, os óculos de grau com lentes ocupacionais oferecem o benefício adicional de um campo de visão muito maior para ver claramente a tela inteira do computador. (Lembre-se, no entanto, de que esse tipo de lente para computador é exclusiva para ver objetos a meia distância (até 2m) e não pode ser usado para dirigir ou para outras necessidades que exijam a visão de longe).

Além disso, vários fabricantes de lentes criaram antirreflexos especiais que reduzem o brilho e que também bloqueiam a luz azul da luz solar natural e de dispositivos digitais. Você também pode considerar as lentes fotossensíveis, que fornecem proteção perfeita contra os raios UV e luz azul-violeta nociva tanto em ambientes internos quanto externos e também escurecem automaticamente em resposta aos raios UV em ambientes externos para aumentar o conforto e reduzir o brilho.

Pergunte ao seu médico oftalmologista sobre que tipo de correção da visão e os recursos da lente melhor atendem às suas necessidades para visualizar o computador e outros dispositivos digitais e proteger os olhos da luz azul.

Página atualizada em Dezembro de 2019

Advertisement

Encontre um oftalmologista próximo a você e agende uma consulta