Página principal Cuidado com a saúde dos olhos Exames oftalmológicos

Refração e função ocular: Como o olho funciona?


Olho de homem

Visão turva — normalmente causada por erros de refração — é a o motivo principal que leva uma pessoa a buscar os serviços de um médico oftalmologista.

Mas o que realmente significa quando nos dizem que nossa visão está turva porque temos um erro de refração?

Nós vemos o mundo à nossa volta devido à forma como nossos olhos curvam (refratam) a luz. Erros de refração são imperfeições óticas que impedem o olho de focar a luz, causando a visão turva.

Os principais erros de refração são miopia, hipermetropia, e astigmatismo.

Erros de refração normalmente podem ser "corrigidos" com óculos ou lentes de contato, ou podem ser tratados permanentemente com cirurgia LASIK e outras cirurgias para correção de visão (também chamadas de cirurgias refrativas).

Como a luz viaja pelos olhos

Para ver, precisamos de luz. Apesar de não compreendermos completamente todas as diferentes propriedades da luz, nós temos uma ideia de como a luz viaja.

Um raio de luz pode ser defletido, refletido, curvado ou absorvido, dependendo das diferentes substâncias que encontrar.

Quando a luz viaja pela água ou por uma lente, por exemplo, seu caminho é curvado ou refratado. Determinadas estruturas oculares possuem propriedades refrativas semelhantes às da água ou de lentes e conseguem curvar raios de luz a um ponto exato de foco para uma visão nítida.

A maior parte da refração no olho ocorre quando raios de luz atravessam a superfície curvada e transparente do olho (córnea). A lente natural do olho também curva raios de luz. Até a camada lacrimal na superfície do olho e os fluidos no interior do olho (humor aquoso e humor vítreo) possuam algum grau de capacidade refrativa.

Como o olho enxerga

O processo de visão começa quando raios de luz que refletem em objetos e viajam pelo sistema ótico do olho são refratados e focados em um ponto de foco exato.

Para uma boa visão, esse ponto de foco deve estar na retina. A retina é o tecido que reveste o interior da parte de trás do olho, onde células sensíveis à luz (fotorreceptoras) capturam imagens praticamente da mesma forma que o filme em uma câmera quando é exposto à luz.

Essas imagens são então transmitidas através do nervo óticos do olho ao cérebro para interpretação.

Assim como a abertura da câmera (chamada de diafragma) é usada para ajustar a quantidade de luz necessária para expor o filme da forma ideal, a pupila do olho dilata ou contrai para controlar a quantidade de luz que chega à retina.

Em condições de pouca luz, a pupila dilata. Em condições de muita luz, a pupila contrai.

Causas de erros de refração

A capacidade do olho de refratar ou focar luz de forma nítida na retina é baseada principalmente em três características da anatomia do olho: 1) o comprimento geral do olho, 2) a curvatura da córnea e 3) a curvatura da lente no interior do olho.

Comprimento do olho

Se o olho for muito comprido, a luz é focada antes de chegar à retina, causando miopia. Se o olho for muito curto, a luz não é focada quando chega na retina. Isso causa hipermetropia.

Curvatura da córnea

Se a córnea não for perfeitamente esférica, a imagem é refratada ou focada irregularmente e cria uma condição chamada de astigmatismo. Uma pessoa pode ser míope ou hipermetrope com ou sem astigmatismo.

Curvatura da lente

Se a curvatura da lente for muito acentuada em relação ao comprimento do olho e a curvatura da córnea, isso causa miopia. Se a lente for muito plana, o resultado é a hipermetropia.

Erros de visão mais obscuros, conhecidos como aberrações de alta ordem, também estão relacionados a falhas na forma como os raios de luz são refratados ao atravessar o sistema ótico do olho.

Esses tipos de erros de visão, que podem causar problemas como pouca sensibilidade a contraste, são detectados através de uma nova tecnologia conhecida como análise da frente de onda.

Detecção e tratamento de erros de refração

Seu médico oftalmologista determina o tipo e grau de erro de refração que você tem realizando um exame chamado de refração.

Ele pode ser feito com um instrumento computadorizado (autorrefrator) ou com um instrumento mecânico chamado foróptero que permite que seu médico oftalmologista lhe mostre uma lente de cada vez (refração manual).

Frequentemente, uma refração automatizada será realizada por um membro da equipe do médico oftalmologista, e então o médico oftalmologista a refinará e verificará os resultados com uma refração manual.

Sua refração poderá revelar que você possui mais de um tipo de erro de refração. Por exemplo, sua visão turva pode se dever tanto à miopia quanto ao astigmatismo.

Seu médico oftalmologista usará os resultados de sua refração para determinar sua receita para óculos.

Uma refração, no entanto, não fornece informações suficiente para emitir uma receita para lentes de contato, que requer um teste de adaptação de lentes de contato.

Óculos e lentes de contato são fabricados com curvas precisas para refratar luz no grau necessário para compensar os erros de refração e levar a luz a um foco preciso na retina.

Cirurgias de correção de visão como a LASIK visam corrigir erros de refração alterando o formato da córnea, para que os raios de luz sejam curvados até um ponto de foco mais preciso na retina.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista