Página principal Questões e doenças oculares Doenças oculares de A-Z

Sintomas de retinopatia diabética: como o diabetes afeta os olhos

Efeitos da retinopatia diabética na imagem de girassóis

Retinopatia diabética é um dano à retina causado pelo diabetes. Se não for tratado, pode levar à perda significativa da visão e até à cegueira.

De acordo com a Federação Internacional de Diabetes (IDF):

  • Aproximadamente 425 milhões de adultos (20 a 79 anos) viviam com diabetes em 2017, e, até 2045, esse número deverá aumentar para 629 milhões.

  • Outros 325 milhões de pessoas em 2017 estavam sob risco de desenvolver diabetes tipo 2.

  • A proporção de pessoas com diabetes tipo 2 está aumentando na maioria dos países do mundo.

  • A maior parte das pessoas com diabetes em 2017 tinha entre 40 e 59 anos de idade.

  • 1 em 2 (212 milhões) pessoas com diabetes não sabem que têm a doença.

Devido a esses fatos e projeções, a retinopatia diabética pode, em breve, se tornar um grande problema mundial de saúde.

Os fatores de risco para diabetes tipo 2 incluem obesidade, dieta não saudável e inatividade física.

Geralmente, os diabéticos não desenvolvem retinopatia diabética até que tenham diabetes há pelo menos 10 anos. No entanto, não é sensato esperar tanto tempo para ser submetido a um exame oftalmológico.

Se você corre o risco de desenvolver diabetes ou foi diagnosticado com a doença, é importante consultar seu oftalmologista para um exame oftalmológico anual completo. Em alguns casos, seu oftalmologista pode recomendar exames mais frequentes para monitorar a saúde de sua retina.

Como o diabetes causa retinopatia diabética?

O diabetes mellitus (DM) causa alterações anormais no nível de açúcar no sangue (glicose) que seu corpo normalmente converte em energia para alimentar diferentes funções corporais.

O diabetes não controlado permite que níveis anormalmente altos de açúcar no sangue (hiperglicemia) aleterem os vasos sanguíneos, causando danos que dificultam ou alteram o fluxo sanguíneo para os órgãos do corpo — incluindo os olhos.

Existem dois tipos principais de diabetes:

Diabetes tipo 1

A insulina é um hormônio natural que ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue necessários para ajudar a "alimentar" o seu corpo. Quando você é diagnosticado com diabetes tipo 1, é considerado dependente de insulina e precisará de injeções de insulina ou outro tratamento médico para fornecer a insulina que o seu corpo não é capaz de produzir por si próprio.

Diabetes tipo 2

Quando você é diagnosticado com diabetes tipo 2, geralmente é considerado não dependente ou resistente à insulina. Com esse tipo de diabetes, você produz insulina suficiente, mas seu corpo é incapaz de fazer uso adequado dela. Seu corpo compensa produzindo ainda mais insulina, o que pode causar um aumento anormal nos níveis de açúcar no sangue.

Nos dois tipos de diabetes, picos anormais de açúcar no sangue aumentam o risco de retinopatia diabética.

Os danos oculares ocorrem quando quantidades cronicamente altas de açúcar no sangue começam a danificar os vasos sanguíneos na retina, que contém células sensíveis à luz (fotorreceptores) necessárias para uma boa visão.

Sintomas da retinopatia diabética e outras doenças nos olhos causadas pelo diabetes

Os sintomas da retinopatia diabética (RD) e de outras doenças nos olhos relacionadas ao diabetes incluem:

  • Visão flutuante

  • Moscas volantes e manchas

  • Desenvolvimento de um escotoma ou sombra no seu campo de visão

  • Visão embaçada e/ou distorcida

  • Anormalidades da córnea, como cicatrização lenta de feridas devido a abrasões na córnea

  • Visão dupla

  • Dor no olho

  • Problemas na visão de perto não relacionados à presbiopia

  • Catarata

Durante um exame oftalmológico, o seu oftalmologista procurará sinais de retinopatia diabética e de outras doenças nos olhos relacionadas ao diabetes. Os sinais de lesões encontradas na retina podem incluir acúmulo de líquidos, depósitos e evidências de sangramento ou vazamento de fluidos dos vasos sanguíneos.

O seu oftalmologista usará uma câmera especial ou outro dispositivo de imagem para fotografar a retina e procurar sinais sugestivos de danos relacionados ao diabetes. Em alguns casos, você pode ser encaminhado a um especialista em retina para que ele realize exames adicionais e possível tratamento.

Para um diagnóstico definitivo, pode ser necessário que você seja submetido a exames como a angiografia, um corante é injetado no braço por via intravenosa e aparece gradualmente nos vasos sanguíneos da retina, onde é iluminado para detectar alterações nos vasos sanguíneos relacionadas ao diabetes e vazamento de sangue na retina. Os portadores de diabetes também tem uma chance maior de desenvolver glaucoma e catarata, mais um motivo pelos quais o acompanhamento oftalmológico é fundamental.

Um sintoma às vezes esquecido, de problema ocular relacionado ao diabetes é o acometimento de nervos que controlam os músculos responsáveis pelos movimentos oculares, chamadas neuropatias. Os sintomas podem incluir movimentos oculares involuntários (nistagmo) e visão dupla.

Tipos de alterações oculares relacionadas ao diabetes

Uma vez que o açúcar no sangue danifique os vasos sanguíneos na retina, eles podem vazar fluido ou sangrar. Isso faz com que a retina inche e forme depósitos nos estágios iniciais da retinopatia diabética.

Em estágios posteriores, o vazamento dos vasos sanguíneos para o humor vítreo, gel que ocupa a parte posterior do olho, podendo causar sérios problemas de visão e, eventualmente, levar à cegueira.

Edema macular diabético

Esse inchaço da mácula normalmente é associado ao diabetes tipo 2. O edema macular pode causar visão reduzida ou distorcida.

O edema macular diabético (EMD) geralmente é classificado de duas maneiras:

  • Focal, causado por microaneurismas ou outras anormalidades vasculares, às vezes acompanhadas de vasos sanguíneos com vazamento.

  • Difusa, que descreve pequenos vasos sanguíneos dilatados ou inchados (capilares) na retina.

Retinopatia diabética não proliferativa (RDNP)

Esse estágio inicial da RD — identificado por depósitos formados na retina — pode ocorrer a qualquer momento após o início do diabetes.

Frequentemente, não há sintomas visuais, mas o exame da retina pode revelar pequenas hemorragias por pontos e por manchas, conhecidas como microaneurismas, que são um tipo de evaginação de pequenos vasos sanguíneos.

No diabetes tipo 1, esses sintomas iniciais raramente aparecem antes de três a quatro anos após o diagnóstico. No diabetes tipo 2, a RDNP em geral aparece alguns anos após o diagnóstico.

Retinopatia diabética proliferativa (RDP)

Das doenças nos olhos relacionadas ao diabetes, a retinopatia diabética proliferativa é a que apresenta o maior risco de perda de visão.

A RDP é caracterizada pelos seguintes sinais:

  • Desenvolvimento de vasos sanguíneos anormais (neovascularização) no ou adjacente ao nervo óptico e vítreo.

  • Hemorragia pré-retiniana, que ocorre no humor vítreo ou na frente da retina.

  • Isquemia devido ao fluxo sanguíneo diminuído ou bloqueado, acompanhada de falta de oxigênio necessário para uma retina saudável.

Esses vasos sanguíneos anormais formados a partir da neovascularização tendem a se romper e sangrar, atingindo o humor vítreo do olho. Além da perda repentina de visão, essas complicações são mais sérias e podem incluir descolamento de retinal tracional e glaucoma neovascular.

O edema macular pode ocorrer separadamente ou junto com a RDNP ou a RDP.

As pessoas diabéticas devem ser monitoradas regularmente, mas normalmente não é necessário tratamento a laser para doenças nos olhos relacionadas ao diabetes até que a doença esteja em um estágio avançada.

Quem desenvolve a retinopatia diabética?

Além da presença do diabetes, o nível de controle do açúcar no sangue é um fator importante para determinar a probabilidade de desenvolver retinopatia diabética com perda de visão associada.

Uma pressão arterial alta não controlada (hipertensão) tem sido associada a lesões oculares relacionadas ao diabetes. Além disso, estudos mostram uma maior taxa de progressão da retinopatia diabética em mulheres diabéticas quando engravidam.

Obviamente, por quanto mais tempo você tem diabetes, maior a probabilidade de ter perda de visão. Quase todos os diabéticos que têm a doença por tempo suficiente acabam desenvolvendo pelo menos algum grau de retinopatia diabética, embora formas menos avançadas da doença possam não levar à perda da visão.

Lembre-se: exames oftalmológicos de rotina são a melhor maneira de proteger seus olhos da perda de visão causada por retinopatia diabética e outras doenças nos olhos relacionadas ao diabetes.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista