Página principalCuidado com a saúde dos olhosRecursos de visão

Conjuntiva do olho

Uma importante estrutura da superfície do olho, que não conseguimos enxergar a com facilidade: essa é a conjuntiva.

Definição de conjuntiva

A conjuntiva é a membrana transparente e fina que recobre parte da superfície frontal do olho e a superfície interna das pálpebras. Ela tem dois segmentos:

Conjuntiva bulbar. Essa porção da conjuntiva cobre a parte anterior da esclera (a parte "branca" dos olhos). A conjuntiva bulbar estende-se até a junção da esclera com a córnea; ela não recobre a córnea.

Conjuntiva palpebral. Essa porção recobre a superfície interna das pálpebras superior e inferior. Outro termo para a conjuntiva palpebral é conjuntiva tarsal.

As conjuntivas bulbar e palpebral são contínuas (veja a ilustração). Essa característica faz com que seja impossível que as lentes de contato (ou outro objeto) se mova para atrás dos seus olhos.

Função da conjuntiva

As principais funções da conjuntiva são:

  • Manter a superfície frontal de seus olhos úmidas e lubrificadas.

  • Manter a superfície interna das pálpebras úmidas e lubrificadas para que elas consigam abrir e fechar facilmente, sem causar fricção ou irritação nos olhos.

  • Proteger os olhos de poeira, ciscos e micro-organismos causadores de infecção.

A conjuntiva possui vários pequenos vasos sanguíneos que levam nutrientes às pálpebras. Ela também contém células especiais que secretam um componente do filme lacrimal que ajuda a prevenir a síndrome do olho seco.

Problemas da conjuntiva

Inúmeras doenças podem afetar a conjuntiva. Entre os problemas mais comuns da conjuntiva podemos citar:

Conjuntivite. É uma inflamação da conjuntiva. Ela pode ter várias causas. [Leia mais sobre conjuntivite.]

Palidez da conjuntiva. Constitui uma aparência não saudável da conjuntiva palpebral, que pode ser sinal de anemia.

Injeção ciliar. É uma vermelhidão no olho causada pela dilatação dos vasos sanguíneos da conjuntiva. Ela tem várias causas. [Leia mais sobre olhos vermelhos.]

Cisto conjuntival. Trata-se de um saco transparente e fino na conjuntiva contendo líquido transparente. Ele lembra uma pequena bolha na sua pele. Um cisto ou saco conjuntival ocorre como resultado de uma infecção ou inflamação ocular ou outra causa.

Hemorragia conjuntival. É o sangramento de um pequeno vaso da superfície frontal do olho, sobre a esclera. Devido ao extravasamento de sangue sob a conjuntiva, a parte branca do olho fica vermelho vivo. Mais precisamente chamada de hemorragia subconjuntival, esse tipo de vermelhidão ocular é inofensiva e tipicamente se resolve sozinha dentro de poucas semanas. [Leia mais sobre hemorragia conjuntival.]

Linfoma conjuntival. É um tumor na superfície frontal do olho que geralmente aparece na forma de uma mancha "carnuda" da cor salmão. Linfomas conjuntivais ficam tipicamente escondidos atrás das pálpebras e são indolores; portanto pode demorar até que eles sejam descobertos, especialmente no caso de pessoas que não realizam exames de vista completos de rotina. Caso você apresente uma massa em seu olho que se pareça com descrição de um linfoma conjuntival, consulte imediatamente um oftalmologista, que poderá avaliar e talvez realizar uma biópsia para definir o tratamento apropriado.

Hemangioma conjuntival. Trata-se de um tumor benigno (não canceroso) dos minúsculos vasos sanguíneos que cria um saco vermelho, cheio de sangue, na conjuntiva. Hemangiomas conjuntivais grandes podem ser removidos cirurgicamente caso causem irritação.

Conjunctival nevus (Nevus de conjuntiva). É um crescimento comum e benigno na conjuntiva bulbar. Na verdade, nevi (plural de nevus) da conjuntiva são os crescimentos mais comuns que ocorrem na superfície do olho. A cor de um nevo da conjuntiva pode variar de amarelo a marrom escuro, podendo ficar mais escuro ou mais claro com o tempo. Na maioria dos casos, nenhum tratamento é necessário para nevo da conjuntiva, mas se um nevo crescer demais, ele pode ser removido por cirurgia.

Conjunctival melanoma (Melanoma de conjuntiva). Trata-se de um crescimento canceroso elevado e escuro, ou relativamente claro, na conjuntiva bulbar. Melanomas de conjuntiva são raros, porém potencialmente fatais. As células cancerosas de um melanoma de conjuntiva podem se infiltrar no globo ocular e se espalharem para os pulmões, fígado, cérebro e ossos através do sistema linfático ou da corrente sanguínea.

Em alguns casos, um melanoma de conjuntiva pode resultar de um nevo de conjuntiva benigno. Por sua segurança, se você notar qualquer tipo de crescimento ou mancha escura no olho, ou um aspecto incomum da sua conjuntiva, seja avaliado por um oftalmologista imediatamente.

Overview of conjunctival and scleral disorders (Visão geral dos transtornos da conjuntiva e esclera). Manual Merck (versão do consumidor). Acessado on-line em maio de 2017.

Conjunctival melanoma (Melanoma de conjuntiva). Site da Medscape. Dezembro de 2015.

Diagnosis and treatment of conjunctival lymphoma (Diagnóstico e tratamento de linfoma de conjuntiva). American Academy of Ophthalmology. Setembro de 2012.

Remington, Lee Ann. Clinical Anatomy And Physiology Of The Visual System, 3.ª edição.Butterworth-Heinemann, 2012.

Conjunctival nevus (Nevus de conjuntiva). Site do Wills Eye Hospital. Outubro de 2011.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista