Página principal Questões e doenças oculares Doenças oculares de A-Z

Anisocoria: O que causa diferença no tamanho das pupilas?

Observe seus olhos atentamente em um espelho. Uma pupila é visivelmente menor ou maior que a outra? Em caso positivo, você pode apresentar anisocoria.

O que é anisocoria?

Anisocoria simplesmente quer dizer que você tem pupilas desiguais. Uma pupila pode ser maior do que o normal, ou uma pupila pode ser menor do que o normal, resultando em pupilas de tamanhos diferentes. As duas pupilas podem ou não responder normalmente à luz.

Na maioria dos casos, anisocoria é benigna e não é motivo de preocupação. Mas se suas pupilas se tornarem desiguais de um dia para o outro, esse tipo menos comum de anisocoria pode ser um sintoma de uma doença séria.

Tipos e causas de anisocoria 

Existem quatro tipos principais de anisocoria:

  1. Anisocoria simples

  2. Anisocoria patológica

  3. Anisocoria mecânica

  4. Anisocoria farmacológica

Anisocoria simples

Anisocoria simples, também chamada de anisocoria essencial ou anisocoria fisiológica, é o tipo mais comum de anisocoria. É uma doença benigna (inofensiva) que afeta aproximadamente 20% da população

Na anisocoria simples, a diferença do tamanho das pupilas é geralmente de 1 milímetro (mm) ou menos, e ambas as pupilas reagem normalmente à luz. A presença de anisocoria simples parece não ser influenciada por sexo, idade ou cor dos olhos

A causa exata da anisocoria simples é desconhecida. Ela pode ser intermitente ou constante e, às vezes, desaparece sozinha.  

Anisocoria patológica

A anisocoria patológica é a diferença no tamanho das pupilas devido a um quadro ou uma doença subjacente. Por exemplo:

Irite

Irite é uma forma de uveíte (uma doença inflamatória dos olhos). Irite aguda é caracterizada por vermelhidão e dor no olho, fotofobia, células inflamatórias na câmara anterior do olho e constrição da pupila do olho afetado (causando anisocoria).

A irite tem muitas causas, incluindo infecção ocular, doenças inflamatórias subjacentes e trauma. Seu oftalmologista pode tratar os sintomas da irite enquanto a causa da doença é determinada e controlada. 

Em alguns casos, a anisocoria decorrente da irite pode permanecer mesmo após o tratamento bem-sucedido da irite.

Síndrome de Horner

Embora os sinais e sintomas possam variar de pessoa para pessoa, a maioria dos pacientes com síndrome de Horner apresenta esses três sinais: 

  • Ptose (queda da pálpebra)

  • Miose (constrição de uma pupila, causando anisocoria)

  • Anidrose facial (transpiração diminuída ao redor do olho afetado)

A síndrome de Horner, também pode ser diferenciada da anisocoria simples, observando a velocidade com que a pupila dilata em um ambiente pouco iluminado. Pupilas normais (incluindo pupilas normais com tamanhos discretamente diferentes) dilatam dentro de cinco segundos após a diminuição da iluminação ambiente. Uma pupila afetada pela síndrome de Horner geralmente leva de 10 a 20 segundos para dilatar em um ambiente pouco iluminado ou escuro.

A síndrome de Horner é tipicamente causada por um quadro médico subjacente, como derrame, tumor ou lesão da medula espinhal. Mas em alguns casos, não é encontrada uma causa.

A pupila tônica de Adie

Pupila tônica de Adie é uma dilatação da pupila causada por lesão nas fibras nervosas, que controlam os músculos dos olhos responsáveis por contrair a pupila. A pupila afetada também apresenta pouca reação à luz. A pupila tônica de Adie acomete principalmente mulheres entre 20 e 40 anos de idade, e em 80% dos casos, apenas um dos olhos é afetado. Na maioria dos casos, a causa da pupila tônica de Adie é desconhecida.

Paralisia do terceiro nervo

O terceiro nervo craniano, também chamado de nervo oculomotor, controla vários músculos que controlam os movimentos dos olhos e das pálpebras, e também influencia um músculo que controla o tamanho das pupilas. A paralisia do nervo oculomotor causa a dilatação da pupila do olho afetado, resultando em anisocoria. 

Além da anisocoria, a paralisia do terceiro nervo frequentemente causa ptose (queda da pálpebra), um desalinhamento “para baixo e para fora” do olho afetado e perda da acomodação (capacidade de focar objetos próximos).

As causas da paralisia do terceiro nervo incluem pressão do nervo decorrente de aneurisma, tumor ou hemorragia cerebral. As causas da paralisia do nervo oculomotor em crianças podem incluir enxaqueca e infecções graves, como meningite. 

Se você ou um familiar desenvolver sintomas de paralisia do terceiro nervo, busque cuidados médicos imediatamente.

Anisocoria mecânica

A anisocoria mecânica é o tamanho desigual das pupilas resultante de uma lesão na íris ou suas estruturas de sustentação. As causas desse tipo de anisocoria incluem trauma ocular, complicações de cirurgia ocular (incluindo cirurgia de catarata), glaucoma de ângulo fechado e doenças inflamatórias, como irite e uveíte. 

Anomalias congênitas na estrutura da íris também pode ser considerada uma causa de anisocoria mecânica. Por exemplo:

  • Aniridia (ausência total ou parcial da íris de um dos olhos)

  • Coloboma (uma fenda na íris de nascença, que dá à pupila um aspecto distinto de “fechadura” ou “olho de gato”)

  • Pupila ectópica (uma doença hereditária que causa deslocamento da pupila e das lentes)

Tumores dentro do olho também podem causar anisocoria mecânica. 

Anisocoria farmacológica

Essa diferença no tamanho das pupilas ocorre como um efeito colateral a um medicamento.

Medicamentos que foram identificados como potenciais causadores de anisocoria farmacológica são os inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs), usados para tratar a depressão.

Adesivos transdérmicos de escopolamina, usados para tratar enjoo de movimento e náusea decorrente de quimioterapia, também se mostraram possíveis causadores da anisocoria. 

Alguns colírios para tratar glaucoma também podem causar anisocoria, especialmente se eles são usados para tratar o glaucoma em apenas um dos olhos. Os exemplos incluem pilocarpina, que pode levar à diminuição da pupila no olho tratado, e brimonidina e apraclonidina, que podem levar ao aumento da pupila no olho tratado.   

O que fazer se você apresentar anisocoria

Se você ou outra pessoa perceber que você está com pupilas desiguais, contate seu oftalmologista imediatamente, especialmente se você apresentar qualquer um dos seguintes sintomas:

  • Queda da pálpebra (ptose)

  • Visão dupla

  • Perda de visão

  • Dor de cabeça ou no pescoço

  • Dor nos olhos

  • Lesão recente na cabeça ou nos olhos

Se a anisocoria for leve e suas pupilas reagirem normalmente aos testes realizados por seu oftalmologista, pode não ser nada preocupante. Mas você deve passar por avaliação antes de concluir que está tudo bem.

Se você apresentar anisocoria e uma pupila estiver maior do que a outra, pergunte ao seu oftalmologista sob lentes fotossensíveis. Essas lentes de óculos escurecem automaticamente quando expostas ao sol, reduzindo a sensibilidade à luz (fotofobia) que pode estar te incomodando.

Lentes fotossensíveis também vão proteger seus olhos dos nocivos raios UV e da luz azul de alta energia, especialmente o olho com a pupila maior, caso ele não reaja normalmente à luz.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista