Condições Oculares

Secreção ocular: Causas da remela

Imagem da secreção ocular
Advertisement

A secreção ocular, popularmente conhecida como remela, é uma combinação de muco, óleo, células da pele e outros detritos que se acumulam no canto do olho enquanto você dorme. Ela pode ser úmida e pegajosa ou seca e com crostas, dependendo da quantidade de líquido na secreção evaporada.

Às vezes chamada de remela, a secreção ocular tem uma função protetora, removendo resíduos e detritos potencialmente prejudiciais do filme lacrimal e da superfície frontal dos olhos.

Seus olhos produzem muco ao longo do dia, mas uma fina película contínua de lágrimas banha seus olhos quando você pisca, expelindo a remela antes que ela endureça em seus olhos.

Quando você dorme — e não pisca — a secreção ocular se acumula e se forma nos cantos dos olhos e, às vezes, na linha dos cílios, daí o termo em inglês "sleep in your eyes" ou, em português, "sono nos olhos".

Um pouco de remela nos olhos ao acordar é normal, mas a secreção ocular excessiva, especialmente se for de cor verde ou amarela e acompanhada de visão embaçada, sensibilidade à luz ou dor nos olhos, pode indicar uma infecção ocular grave ou doença ocular e deve ser examinada imediatamente por seu oftalmologista.

De onde vem o muco ocular?

A secreção ocular é composta principalmente de muco fino e aquoso produzido pela conjuntiva (chamada mucina) e meibum - uma substância oleosa secretada pelas glândulas meibomianas que ajuda a manter os olhos lubrificados entre as piscadas.

Quando não são lavados pelas lágrimas, os detritos acumulados, ou "Mattering" (produção de muco), se acumulam no canto interno do olho, bem como ao longo da linha dos cílios.

Causas da secreção ocular

A remela geralmente não é motivo de alarme, mas se você notar uma diferença na consistência, cor e quantidade da secreção ocular, isso pode indicar uma infecção ou doença ocular.

As condições oculares comuns associadas à secreção ocular anormal incluem:

Conjuntivite. A secreção ocular é um sintoma comum de conjuntivite, uma inflamação da membrana fina que reveste o "branco" do olho (esclera) e a superfície interna das pálpebras.

Além dos olhos com coceira, arenoso, irritado e vermelho, a conjuntivite geralmente é acompanhada por muco branco, amarelo ou verde nos olhos, que pode formar uma crosta ao longo da linha dos cílios enquanto você dorme. Em alguns casos, as crostas nas pálpebras podem ser tão severas que fecham temporariamente os olhos.

Há três tipos de conjuntivite:

Conjuntivite viral

A conjuntivite viral é altamente contagiosa e é causada por um vírus como o resfriado comum ou o vírus do herpes simples. A secreção ocular associada ao olho vermelho viral normalmente é clara e aquosa, ou pode incluir muco branco ou ligeiramente amarelo.

Conjuntivite bacteriana

A conjuntivite bacteriana, como o nome indica, é causada por uma infecção bacteriana. Pode ser ameaçadora à vista se não for tratada imediatamente. A secreção ocular da conjuntivite bacteriana geralmente é mais espessa e mais purulenta (semelhante a pus) do que o olho vermelho viral e geralmente é de cor amarela, verde ou até cinza. Frequentemente, o material pegajoso fará com que suas pálpebras fiquem completamente grudadas ao acordar pela manhã.

Conjuntivite alérgica

A conjuntivite alérgica é desencadeada por alérgenos — pólen, caspa, poeira e outras substâncias irritantes comuns que causam alergias oculares. Também pode ser causada por uma reação alérgica a poluentes químicos, maquiagem, soluções de lentes de contato e colírios. A secreção ocular associada à conjuntivite alérgica geralmente é aquosa. A conjuntivite alérgica não é contagiosa e sempre afeta os dois olhos.

Outras infecções oculares

Além da conjuntivite, há muitas infecções oculares que causam secreção ocular anormal. Entre elas, merecem destaque:

  • Herpes ocular (uma infecção ocular viral recorrente)
  • Ceratite fúngica (uma inflamação rara, mas grave da córnea)
  • Ceratite por Acanthamoeba (uma infecção parasitária que pode causar cegueira, geralmente causada por falta de higiene das lentes de contato ou natação durante o uso de lentes de contato).

A secreção de uma infecção ocular varia consideravelmente - pode ser clara e aquosa ou espessa, verde e pegajosa —, consulte o seu oftalmologista imediatamente para um diagnóstico e tratamento precisos.

Blefarite

Um distúrbio crônico das pálpebras, a blefarite descreve a inflamação dos folículos capilares dos cílios ou a produção anormal de óleo das glândulas meibomianas na borda interna das pálpebras.

Disfunção das glândulas meibomianas

Também chamado de DGM, esse mau funcionamento das glândulas sebáceas da pálpebra pode causar secreção ocular espumosa, crostas palpebrais, pus amarelo ou verde, entre outros sintomas irritantes e muitas vezes dolorosos.

Terçol

Um terçol é uma glândula meibomiana entupida na base da pálpebra, geralmente causada por um folículo dos cílios infectado. Também chamado de hordéolo, assemelha-se a uma espinha na margem palpebral e geralmente é acompanhado por vermelhidão, pálpebras inchadas e sensibilidade na área afetada. Pus amarelo, crostas nas pálpebras e desconforto ao piscar também podem ocorrer.

VEJA TAMBÉM: Como se livrar de um terçol

Olhos secos

A produção insuficiente de lágrimas ou a disfunção das glândulas meibomianas podem levar à síndrome do olho seco - uma condição frequentemente crônica em que a superfície dos olhos não é adequadamente lubrificada e fica irritada e inflamada. Os sintomas de olhos secos incluem olhos vermelhos, injetados, uma sensação de queimação, visão embaçada e uma sensação de que algo está "dentro" do seu olho (sensação de corpo estranho). Às vezes, os olhos secos também podem causar uma secreção ocular muito aquosa.

Lentes de contato

Caso você utilize lentes de contato, poderá encontrar mais remelas do que o normal. Isso pode ser devido a várias razões, incluindo uma infecção ocular relacionada às lentes de contato, desconforto nas lentes de contato, resultando em olhos secos e irritados, além do ato de esfregar mais os olhos ao usar lentes. Se você tiver um aumento na secreção ocular ao usar lentes de contatos, remova suas lentes e consulte seu oftalmologista para descartar uma condição ocular potencialmente grave.

Lesão ocular

Um corpo estranho no olho (como sujeira, detritos ou substância química) ou uma lesão ocular pode fazer com que seus olhos secretem uma secreção aquosa como uma resposta protetora natural. Se ocorrer pus ou sangue no olho (hemorragia subconjuntival) após uma lesão ocular, consulte seu oftalmologista imediatamente para tratamento. Todas as lesões oculares devem ser tratadas como uma emergência médica.

Úlcera da córnea

Uma úlcera de córnea é uma infecção da córnea com riscos à visão e geralmente causada por trauma no olho ou uma infecção ocular não tratada. Se não for tratada prontamente, as úlceras da córnea podem levar à perda completa da visão. Dor ocular, vermelhidão, pálpebras inchadas e secreção ocular espessa são características de uma úlcera na córnea. O pus ocular pode ser tão grave a ponto de obscurecer a córnea e prejudicar a visão.

Dacriocistite

Quando um canal lacrimal é bloqueado, o saco lacrimal no sistema de drenagem lacrimal que leva ao nariz pode inflamar e infectar, causando um inchaço sensível sob a pálpebra interna. Além da dor e vermelhidão, os sintomas comuns da dacriocistite incluem olhos lacrimejantes, secreção pegajosa e visão turva.

Tratamento para secreção ocular

Uma pequena quantidade de secreção ocular é inofensiva, mas se você notar alterações na cor, frequência, consistência e quantidade, consulte seu oftalmologista.

Se uma infecção ocular for a causa do muco ocular, seu oftalmologista poderá prescrever colírios e pomadas antibióticas ou antivirais. Se as alergias oculares estiverem deixando seus olhos lacrimejantes e irritados, colírios e descongestionantes anti-histamínicos vendidos sem receita podem aliviar os sintomas.

Compressas quentes colocadas sobre os olhos podem ajudar a aliviar os sintomas de coceira e desconforto geral dos olhos, além de ajudar a remover a secreção ocular.

Se as pálpebras estiverem grudadas, a melhor maneira para "descolar" as pálpebras é molhar um pano de prato em água quente e colocá-lo sobre os olhos por alguns minutos, antes de limpar suavemente a secreção.

Lista de controle em casa

  • Siga estas dicas simples para evitar ou administrar a secreção ocular:
  • Evite tocar nos olhos para evitar o aparecimento ou a disseminação de uma infecção ocular.
  • Lave as mãos com frequência, principalmente se tiver conjuntivite contagiosa.
  • Se você tiver secreção ocular ao usar lentes de contatos, remova as lentes e consulte seu oftalmologista. Às vezes, mudar para lentes contatos descartáveis diariamente pode reduzir o risco de secreção relacionada às lentes de contato.
  • Se você tiver uma infecção ocular, descarte qualquer cosmético potencialmente contaminado, como rímel e delineador.
  • Se as alergias forem a causa de seus olhos lacrimejantes, investigue seu ambiente e tente remover ou minimizar sua exposição às substâncias irritantes. Se você é sensível a colírios, tente usar colírios sem conservantes.

Página atualizada em outubro de 2019

Advertisement

Encontre um oftalmologista próximo a você e agende uma consulta