Página principal Questões e doenças oculares Doenças oculares de A-Z » Coronavírus e conjuntivite

Conjuntivite associada a coronavírus, resfriados e gripe: Proteja seus olhos

Você está com tosse seca, coriza e outros sintomas de resfriado, gripe ou outro vírus e então seus olhos ficam vermelhos e lacrimejantes, e suas pálpebras podem ficar inchadas. Você pode estar com conjuntivite viral

Alguns vírus que causam doenças sazonais, como resfriados e gripes, podem também causar conjuntivite. 

Como isso pode ocorrer? Quando você está doente, você pode transferir vírus aos seus olhos ao assoar o nariz e depois enxugar uma lágrima do olho, ou simplesmente ao tocar a área ao redor dos olhos. 

Coronavírus e conjuntivite 

Médicos descobriram recentemente que o novo coronavírus pode causar conjuntivite,de acordo com a American Academy of Ophthalmology (AAO). 

O novo coronavírus, que causa uma doença conhecida como COVID-19, é um vírus que foi observado pela primeira vez em seres humanos no surto iniciado em no fim de dezembro de 2019 em Wuhan, China. Acredita-se que o novo coronavírus foi transmitido de animais para seres humanos e se espalhou ao redor do mundo. 

A World Health Organization anunciou uma pandemia de COVID-19 em 11 de março de 2020. 

VER TEXTO RELACIONADO: Coronavírus: Como os olhos podem ter um papel na disseminação do vírus

Há duas principais formas como o coronavírus e outros vírus podem penetrar no olho e possivelmente causar conjuntivite: 

1. Tosses e espirros

Primeiramente, o coronavírus pode entrar no olho por meio de transmissão por aerossol. “Ela ocorre quando você está a 1,80 m de alguém que tem o vírus, e ela tosse ou espirra, e você não está usando nenhum óculos de proteção especial nos olhos”, diz Stephanie Marioneaux, doutora em medicina, porta-voz clínica da AAO. 

2. Tocar os olhos

O coronavírus pode também ser transmitido levando as mãos até os olhos. Por exemplo, você pode levar o coronavírus ao seu olho se alguém com o vírus tocar a barra do carrinho de supermercado, e você usar o mesmo carrinho e depois tocar seus olhos, diz Marioneaux. 

A boa notícia é que apenas 1% a 3% dos pacientes com coronavírus pegam conjuntivite, segundo a AAO.

Conjuntivite por adenovírus: o tipo mais comum 

O coronavírus é o centro das notícias agora, mas você não deve ter ouvido falar da causa mais comum de conjuntivite: adenovírus. 

Os sintomas de infecção por adenovírus podem parecer os de um resfriado ou de gripe, podendo incluir: 

  • Febre

  • Sintomas gastrointestinais, como diarreia e náusea

  • Inflamação das vias aéreas e dos pulmões, conhecida como bronquite aguda

  • Dor de garganta

  • Pneumonia

  • Conjuntivite

Os sintomas da conjuntivite incluem tipicamente olhos inflamados e avermelhados, secreção aquosa e sensação de areia arranhando os olhos.

Adenovírus constituem o grupo de vírus que causam o resfriado comum e várias outras doenças comuns das vias aéreas superiores.

Adenovírus podem ser a causa de uma conjuntivite leve sem nenhum outro sintoma ou ser a causa da forma mais grave de conjuntivite conhecida como ceratoconjuntivite epidêmica (CCE). Este tipo específico de conjuntivite tende a ocorrer em aglomerações e é altamente contagiosa e incômoda.

O adenovírus pode sobreviver em superfícies por um longo período, relata Marioneaux. “Ele pode permanecer em uma maçaneta por 30 dias e ainda ser tão contagioso como no primeiro dia”, diz ela. 

Existem ainda muitos outros vírus, e cepas virais, que podem causar conjuntivite.

A gripe pode causar conjuntivite?

Algumas cepas do vírus da gripe podem causar conjuntivite. No entanto, ela está longe de ser tão comum quanto à conjuntivite causada pelo adenovírus, alega Marioneaux. 

Como podemos prevenir a conjuntivite viral? 

Prevenção é o melhor remédio. Confira quatro maneiras de reduzir duas chances de pegar conjuntivite viral: 

1. Lave as mãos da forma correta

Revise as cinco etapas para lavar as mãos corretamente divulgadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA. Você deve molhar as mãos, fechar a torneira, ensaboar e esfregar por 20 segundos, depois enxaguar. Após lavar as mãos, seque-as com uma toalha limpa ou deixe-as secar ao natural. 

2. Não toque os olhos

Resista à vontade de tocar, esfregar ou limpar os olhos com as mãos, ou tocar outras partes do seu rosto, esteja você ou não com sintomas de alguma doença. “Não toque os olhos, a não ser que você use um lenço limpo”, diz Marioneaux. 

3. Evite compartilhar itens pessoais

Não compartilhe itens, como estojos de lentes de contato, colírios, maquiagem ou pincéis de maquiagem, fronhas ou toalhas de banho ou de rosto, segundo recomendações dos CDC. A conjuntivite é bastante contagiosa e um paciente pode transmiti-la de um olho para o outro.

4. Troque lentes de contato por óculos

Usuários de lentes de contato podem precisar migrar para o uso de óculos temporariamente. “Muitos pacientes usuários de lentes de contato tocam seus olhos sem nem sequer perceber”, alega Marioneaux. “Então se você se sentir à vontade, você pode optar pelo uso de óculos até que o pânico do coronavírus vá embora.” 

E nunca é demais reforçar a importância das práticas de boa higiene. 

“Nunca se sabe se suas mãos entraram em contato com o vírus ao tocar uma maçaneta, usar um lápis ou preencher um formulário com a mesma caneta usada por 1.000 pessoas antes de você”, afirma Marioneaux. Sempre que possível, use formas de pagamento sem contato.

Tratamento da conjuntivite viral: O que você deve saber

Não existe tratamento para conjuntivite viral, incluindo conjuntivite causada pelo novo coronavírus, mas ela tipicamente desaparece sozinha dentro de duas semanas. 

Caso você receba diagnóstico de conjuntivite viral, seu oftalmologista pode recomendar as seguintes soluções caseiras para conjuntivite para ajudar a aliviar seus sintomas: 

  • Tome um analgésico de venda livre para amenizar qualquer incômodo.

  • Aplique uma compressa morna sobre os olhos por alguns minutos, trocando por um pano limpo toda vez, e usando um pano diferente em cada olho, para evitar a transmissão da doença de um olho para o outro.

  • Use colírios lubrificantes, também conhecidos como “lágrimas artificiais”, para aliviar a irritação no olho. Tenha cuidado para não tocar a ponta aplicadora do frasco no seu olho para não disseminar a infecção. 

Saiba que é comum profissionais da saúde receitarem incorretamente colírios antibióticos para conjuntivite viral, especialmente se você se consultar com um médico generalista ou prestadores de cuidados emergenciais que tenha pouca experiência em diferenciar infecções oculares. 

De fato, um estudo sobre uso de antibióticos para conjuntivite descobriu que a maioria das pessoas com conjuntivite aguda recebem o tratamento errado. O estudo mostrou que 60% dos pacientes recebem receita de antibióticos mesmo sem necessidade. 

É comum o paciente ou os pais do paciente partirem do princípio que uma típica conjuntivite viral não vai se resolver sem a ajuda de um medicamento tópico, podendo até mesmo insistir para que o médico prescreva algo do tipo. Essa é uma suposição errada.

E pode ser um problema por duas grandes razões: 

1. O uso incorreto de antibióticos pode causar resistência

Se antibióticos forem dados sem necessidade a um paciente, eles podem ser menos eficazes no futuro no tratamento de infecções mais sérias, diz Marioneaux. “Pacientes que não precisam de antibióticos às vezes recebem medicamentos que nós reservamos para casos mais sérios”. 

2. Antibióticos podem piorar ainda mais a conjuntivite

"Colírios antibióticos podem interferir na sua resposta imunológica, que é o sistema responsável por combater a conjuntivite viral," afirma Marioneaux. Se isso acontecer, o processo de cura pode ficar mais lento. 

É importante se consultar com um oftalmologista para evitar o tratamento errado e obter o diagnóstico, as orientações e o esquema de tratamento adequados. Pode ser difícil distinguir a conjuntivite viral, causada pelo adenovírus, de outras infecções oculares, causadas por uma variedade de vírus ou bactérias.

"Uma conjuntivite pode ter uma variedade de causas," diz Marioneaux. 

O que fazer se você não estiver bem e apresentar sintomas oculares 

E se você estiver com febre, coriza e outros sintomas, e desenvolver algo parecido com conjuntivite? 

“Evite fazer qualquer tipo de diagnóstico sozinho”, aconselha Marioneaux, acrescentando que vermelhidão dos olhos, mesmo em uma situação de doença, não quer dizer necessariamente que você esteja com infecção. 

Por exemplo, irritação, vermelhidão ou inchaço podem ser causadas por alergias, anti-histamínicos, medicamento para tosse ou outros medicamentos que ressecam os seios nasais podendo causar olhos secos também. 

"Por isso é importante se consultar com um oftalmologista para descobrir o que realmente está acontecendo com seus olhos," afirma Marioneaux. 

Mas com a COVID-19 se espalhando rapidamente no mundo, é mais importante do que nunca tomar precauções para não disseminar qualquer vírus. 

Confira o que fazer caso você apresente algum problema ocular, além de febre, tosse, falta de ar ou qualquer outro sintoma: 

Cancele compromissos não urgentes

Caso você tenha um exame de visão de rotina programado, adie sua consulta com o oftalmologista para quando você estiver melhor.

Consulte seu oftalmologista

Não busque tratamento médico para um problema ocular com um médico de família ou médico generalista. Oculistas são especializados em problemas envolvendo os olhos, portanto têm mais experiência em diagnosticar e tratar essas doenças.

Ligue para seu oftalmologista antes de marcar uma consulta

Ligue para seu oftalmologista para descrever seus sintomas e discutir seu problema ocular antes de marcar uma consulta presencial. Comunique se você estiver com sintomas de COVID-19 ou achar que você foi exposto ao vírus. 

Casso você esteja doente e tiver um problema ocular urgente que requeira uma consulta presencial, seu oftalmologista pedirá que você use uma máscara de proteção e aguarde em uma sala de espera separada dos outros pacientes. 

Seu oftalmologista usará equipamentos de proteção, como óculos especiais, máscara, jaleco, luvas e um protetor em acrílico de lâmpada de fenda ao examinar você. 

O que fazer se você achar que está com conjuntivite

A conjuntivite é autolimitante, os sintomas duram tipicamente de 7 a 10 dias. Ela é mais contagiosa durante os três ou quatro primeiros dias após o seu início.

Evite compartilhar itens com outras pessoas e tocar os olhos durante todo o ciclo da doença. Consulte seu oftalmologista para determinar a causa da sua conjuntivite e desenvolver o melhor tratamento e plano.

VOCÊ ACHA QUE PODE ESTAR COM CONJUNTIVITE? Encontre um oftalmologista perto de você, ligue para conversar sobre seus sintomas e, então, marque uma consulta (se for necessário).

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista