Coronavírus: Como os olhos têm um papel na disseminação do vírus


Mulher vestindo máscara cirúrgica

Nossos olhos podem desempenhar um papel importante na disseminação e prevenção do novo surto de coronavírus observado em todo o mundo.

Por exemplo, um médico da Universidade de Pequim acredita que ele pode ter contraído o coronavírus por não ter utilizado proteção para os olhos ao tratar pacientes. Oficiais médicos, no entanto, dizem que, embora possível, é improvável.

Para reduzir o risco de contrair o novo coronavírus, evite tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos não lavadas. As membranas mucosas (que revestem várias cavidades do corpo) são as mais suscetíveis à transmissão do vírus.

O que é o coronavírus?

Relatos de um novo coronavírus (também conhecido como COVID-19) surgiram pela primeira vez no final de dezembro de 2019 em Wuhan, China.

Os coronavírus são um grupo de vírus comuns. Alguns afetam apenas animais (como morcegos, gatos, camelos e gado), enquanto outros também afetam pessoas, de acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA.

COVID-19 pode desencadear doenças pequenas, como um resfriado comum, ou aquelas com mais consequências, como a bronquite, a pneumonia e a insuficiência renal. Os casos mais graves podem ser fatais. Este é o sétimo tipo conhecido de coronavírus, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Como o novo coronavírus está relacionado aos olhos?

Pacientes que contraíram o novo coronavírus podem apresentar sintomas oculares.

A conjuntivite é uma inflamação da membrana que cobre o globo ocular. A conjuntivite geralmente se apresenta na forma de olhos infeccionados/vermelhos, "úmidos e lacrimejantes".

Sabe-se que a conjuntivite viral apresenta infecções respiratórias das vias aéreas superiores (resfriados, gripes, etc.) e pode ser um sintoma do vírus COVID-19.

Um estudo recente de hospitais da China, publicado no New England Journal of Medicine, encontrou "congestão conjuntival" ou olhos vermelhos infeccionados em 9 de 1.099 pacientes (0,8%) com diagnóstico confirmado de coronavírus.

Um estudo no The Journal of Medical Virology com 30 pacientes hospitalizados por COVID-19 teve apenas um paciente diagnosticado com conjuntivite. Com base nessas informações, a ocorrência de conjuntivite é baixa.


SE VOCÊ NÃO ESTÁ SE SENTINDO BEM... Ligue para o seu médico de família. Se você suspeitar que esteja com conjuntivite, ligue para um oftalmologista perto de você. Sugere-se que que você não vá a instalações médicas ou oftalmológicas sem uma ligação telefônica prévia, para ajudar a diminuir a possível disseminação do vírus. Uma ligação telefônica permite que a instituição de saúde se prepare para a sua visita, diagnostique e trate você de maneira adequada.


A relação entre a transmissão do coronavírus e seus olhos é complicada.

Acredita-se que o COVID-19 se espalhe de pessoa para pessoa principalmente através de "gotículas respiratórias" transportadas pelo ar, produzidas quando alguém tosse ou espirra, como o vírus da gripe se espalha, afirma o CDC. Essas gotículas podem aterrissar na boca ou no nariz de pessoas próximas e possivelmente ser inaladas nos pulmões.

Os especialistas médicos não sabem ao certo se alguém pode contrair esse vírus tocando em uma superfície ou objeto, como uma mesa ou maçaneta, contaminado com o COVID -19 e tocando a boca, o nariz ou possivelmente os olhos.

O especialista em respiração da Universidade de Pequim, Wang Guangfa, acredita ter contraído o COVID-19 ao entrar em contato com pacientes em clínicas de saúde na China. 

Wang relatou que seu olho esquerdo ficou inflamado depois, seguido de febre e acúmulo de muco no nariz e na garganta. Posteriormente, ele foi diagnosticado com o novo coronavírus.

De acordo com o South China Morning Post, Wang acha que o vírus entrou no olho esquerdo, pois ele não estava usando óculos de proteção.

A Dra. Jan Evans Patterson, professora de medicina e patologia na divisão de doenças infecciosas da Long School of Medicine na UT Health San Antonio, confirma que um quadro como o de Wang poderia acontecer.

Na situação de Wang, ela diz, gotículas respiratórias de uma pessoa infectada podem ter atingido seus olhos ou outras membranas mucosas.

Geralmente, porém, a transmissão do COVID-19 vem com tantas incógnitas que é "plausível, mas improvável" contraí-lo pelo contato da mão com os olhos, diz o Dr. Stephen Thomas, chefe de doenças infecciosas da SUNY Upstate Medical University em Syracuse, Nova York.

O quão contagioso é o novo coronavírus?

Atualmente, não se sabe o quão "fácil ou sustentável" é a disseminação do vírus de pessoa para pessoa, de acordo com o CDC.

Grandes aglomerações e eventos foram cancelados ou adiados como uma medida de saúde pública para conter a disseminação do novo coronavírus. As autoridades de saúde dos EUA implementaram essas medidas de emergência como uma prática recomendada para conter a transmissão do vírus.

Escolas cancelaram as aulas presenciais e passaram a ministrá-las on-line. Ligas esportivas e museus também fecharam como precaução para evitar a disseminação da comunidade.

Quais são os sintomas do novo coronavírus?

Os sintomas do COVID-19 incluem doença respiratória leve a grave acompanhada de febre, tosse e problemas respiratórios, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Outros sintomas incluem coriza, dor de garganta e dor de cabeça.

A maioria das pessoas desenvolve apenas sintomas leves. Mas algumas pessoas, geralmente aquelas que são mais velhas ou têm outras complicações médicas, desenvolvem sintomas mais graves, incluindo pneumonia, que pode ser fatal.

Os sintomas normalmente aparecem 2 a 14 dias depois que alguém foi exposto ao vírus.

Como o COVID-19 é diagnosticado?

Profissionais de saúde diagnosticam o coronavírus por meio de exames laboratoriais de amostras respiratórias ou de sangue ou outros fluidos corporais.

Existe vacina ou tratamento para o novo coronavírus?

Até o momento, nenhuma vacina ou tratamento antiviral foi identificado. Portanto, o melhor método para limitar a propagação desse vírus é isolar rapidamente as pessoas que o possuem (ou presume-se que tenham se tiver sido expostas a ele) antes que elas infectem outras pessoas, afirma a Harvard Business Review.

Como você pode reduzir o risco de contrair coronavírus?

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) desenvolveram um site com as informações mais atualizadas relacionadas ao surto de coronavírus.

As medidas recomendadas pelo CDC para prevenir doenças incluem:

Limpe as mãos frequentemente

  • Lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente depois de estar em um local público, comer, usar o banheiro, assoar o nariz, tossir ou espirrar.

  • Evite tocar os olhos, nariz, e a boca o máximo possível, especialmente sem antes ter lavado aos mãos.

Reduza a exposição

  • Evite contato próximo com pessoas que estejam doentes.

  • Fique em casa se estiver doente — exceto para buscar assistência médica.

Cubra o rosto sempre que tossir ou espirrar

  • Cubra a boca e o nariz com um lenço de papel quando tossir ou espirrar ou use a parte interna do cotovelo.

  • Jogue o lenço usado no lixo.

  • Lave imediatamente as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos.

  • Use uma máscara que cubra a boca e o nariz se estiver doente.

Se você NÃO estiver doente: você não precisa usar uma máscara facial, a menos que esteja cuidando de alguém que esteja doente (e não possa usar uma máscara). Pode haver escassez de máscaras, que devem ser usadas primordialmente por profissionais de saúde, pessoas doentes e cuidadores.

Limpe e desinfete superfícies

As evidências atuais sugerem que o novo coronavírus pode permanecer viável por horas a dias em superfícies feitas de uma variedade de materiais, informa o CDC. A limpeza de superfícies visivelmente sujas seguidas de desinfecção é uma prática recomendada para a prevenção de COVID-19 e outras doenças respiratórias virais em residências e ambientes comunitários.

Pelo menos alguns coronavírus podem permanecer viáveis — capazes de infectar uma pessoa — por até 24 horas em papelão e até três dias em plástico e aço inoxidável, relata o The Washington Post, citando uma pesquisa de um laboratório que faz parte do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas.

Como se vestir para limitar a exposição

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, se você tem o potencial de ser exposto a uma pessoa com coronavírus, deve estar equipado com óculos de proteção, máscara cirúrgica, roupas médicas, luvas médicas e um respirador descartável.

Find Eye Doctor

Agendar um exame

Encontre Oftalmologista